• Glauco Castro

Liderar caminha de mãos dadas com a exposição.

Atualizado: Set 22



Somos diferentes. Ponto.

Muitas vezes não há o certo e o errado. Somente se é, diferente.


Tendemos a julgar o que é certo sob nosso ponto de vista. Quanto mais igual a mim, mais certo o é. Permitir pensar o contrário, seria admitir que está errado. E não gostamos de errar. Porém, a vida real mostra-se diferente.


Gostando ou não, teremos que conviver com adversidades, de vez em quando fazer algo que não nos agrada tanto, ceder, permitir.


Para que tudo isso não nos confunda muito, surgem pessoas que nos auxiliam nesta jornada. Os líderes. Aqueles que dão o primeiro passo, orientam, provocam as reflexões e nos fazem pensar.


Apesar de reconhecer a liderança situacional, normalmente o líder age como um em todas as circunstâncias. É aquele que se voluntaria quando todos gostariam de ser invisíveis.

Cabe a ele garantir que todos sintam-se o mais satisfeitos possível, confortando quando for necessário, mostrando o caminho a seguir quando a direção não for tão clara.


Para tal, manter-se informado, ter maturidade e controle sobre algumas situações é vital. Não dá para liderar sendo um coadjuvante. Tem que ser do palco. E no papel principal. Não dá para liderar alegando não saber as regras do jogo e, muito menos, não se aproximando do seu time. O líder é responsável por tudo e por todos.


A ele não cabe fazer uso de desculpas que outros farão em situação de desgaste ou até mesmo quando o fracasso parecer inevitável. O líder que trate de realinhar as velas e siga em frente. Sem auto piedade. Sem se esquivar da responsabilidade.


Ajuste logo a direção, torne-a conhecida de todos, explique o porquê da mudança de rumo, seja o primeiro a dar o exemplo e responda, com transparência, aos questionamentos. Porém, há um pré-requisito crucial a ser cumprido, sem o qual, é melhor abandonar o barco: credibilidade!


As pessoas que estão à sua volta precisam confiar no líder. É condição básica. E se isso não se configura, os redirecionamentos estão fadados a cair por terra.


Atualmente, neste nosso cotidiano tão “sem tempo”, parece que está cada vez mais difícil saber a que se dar crédito. Diz-se uma coisa hoje, amanhã é outra. E com a velocidade da informação nos patamares que está, rapidamente é disseminado, E então, tragédia!


E o que temos visto de gente dizendo que não sabia...

Tudo isso precisa ser revisto. Para ontem!

Vamos em frente.

Ser líder não é para qualquer um, fato. Muitos desejam se tornar líderes, mas não contam com as características necessárias para tal. Se colocar em destaque, arriscar, tomar decisões que não agradam à todos (e estar ok com isso), entre outras, são questões que acabam separando os candidatos para liderança.


Você já passou por momentos tensos enquanto líder de uma equipe? Já foi forçado a alterar o direcionamento e a justificar erros? Me conte como foi e quais dicas você tirou dessa experiência.


Estou sempre aberto ao seu feedback.


37 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo