• Glauco Castro

Maturidade – parte final




Olá!


Gostaria de dar continuidade ao conteúdo e nesse artigo levantei competências que podem colaborar com a formação da sua maturidade. São tópicos importantes e espero que agreguem valor ao aperfeiçoamento de sua liderança. Acompanhe comigo!


Dimensões de desenvolvimento da maturidade


O grau de maturidade pode ser identificado a partir de características comportamentais observáveis nos indivíduos. São traços que podem ser aprendidos ou refinados.


Estas características devem ser analisadas tanto do ponto de vista do próprio indivíduo (auto percepção) como pelas perspectivas dos interlocutores, daqueles com quem interage (heteropercepção). Isso quer dizer que a maturidade não deve ser percebida apenas com base em características internas, mas também com base no que os outros enxergam da pessoa.


Assim sendo, a forma como os indivíduos se consideram não é a mais legítima do que a forma como os outros o consideram. De algum modo, o nível de maturidade acaba associado à percepção e à reputação que alguém alcança socialmente.


Maturidade também tem a ver com a maneira como a pessoa lida com situações difíceis e estressantes, porque nesses momentos a verdadeira habilidade de reagir da pessoa poderá ser observada. Outra forma de perceber se uma pessoa é madura é considerar sua capacidade de solucionar problemas racionalmente, pela lógica, debatendo com bom senso.


Os indicadores de maturidade estão divididos em três dimensões:


- consciência de si;

- consciência do outro;

- consciência da organização.


Consciência de Si


Estabilidade emocional: capacidade de regular a própria atuação no contexto social, com equilíbrio e inteligência emocional, mantendo harmonia entre as forças emocionais opostas.


Autoconsciência: capacidade de refletir sobre si mesmo, reconhecendo características e limitações pessoais.


Autoconfiança: capacidade de confiar em si mesmo e atuar com segurança.


Tolerância ao estresse: capacidade de manter a calma e não se desestruturar em situações de estresse.


Consciência do Outro


Empatia: capacidade de se colocar no lugar do outro, de ser influenciado, aceitando o ponto de vista de outras pessoas ao pensar sobre si ou considerar seu próprio comportamento.


Habilidades sociais: capacidade de interagir com as pessoas, de se integrar e participar da vida em grupo, considerando os códigos de convivência.


Uso do poder e da autoridade: capacidade de ter domínio ou exercer alta posição com equilíbrio, respeitando as condições de tal direito.

Flexibilidade: capacidade de ceder a ser maleável diante de situações adversas.


Consciência da Organização


Diplomacia e tato: capacidade de negociar com habilidade e sensibilidade, a fim de manter o bom relacionamento com o outro.


Responsabilidade: capacidade de aceitar as demandas de seu papel e de se comprometer, assumindo a responsabilidade de fazer o que deve ser feito.


Abertura e mudança: capacidade de se adaptar, respondendo positivamente a alterações ou desvios imprevistos nas situações.


Sabedoria e política: capacidade de proceder adequadamente construindo boas relações humanas, com vista à obtenção de resultados desejados.


É possível acelerar a maturidade?


Avançar os níveis de maturidade significa estimular o crescimento e a efetividade de práticas e princípios que apoiam a realização dos objetivos organizacionais. Em outras palavras, significa acelerar o desenvolvimento – o que pressupões situações de aprendizagens intensas e orientadas.


A aceleração da maturidade tem como proposta ativar o desenvolvimento por meio de três processos paralelos:


Autoconhecimento: conhecer-se bem.

O entendimento realista sobre si mesmo é condição básica para identificar e refletir sobre como atitudes e comportamentos individuais interferem em resultados profissionais e pessoais. Esse processo facilita a construção de habilidades que aperfeiçoam a interação com outras pessoas. Essencialmente, a consciência de características individuais permite o fast-track de si.


Experiência: passar por experiências que permitam a aprendizagem na prática.

Para adquirir maturidade, a experiência tem um papel importante. Muitos dos atributos de maturidade são desenvolvidos pela experiência: realizar projetos, observar os outros, ler etc. Por isso, os profissionais devem ser expostos a atividades práticas que estimulem habilidades desejadas.


Orientação: ter a orientação de pessoas mais experientes.

Competências específicas baseadas no equilíbrio emocional não surgem necessariamente da experiência de vida. Profissionais motivados a aperfeiçoar sua maturidade podem fazê-lo se receberem a informação certa, orientação e apoio.

No entanto, se somada a essa orientação o profissional for uma pessoa atenta às suas experiências de vida, aprendendo com as mesmas, certamente terá mais a contribuir em seu estilo de liderança e coaching para a sua equipe.


Benefícios da aceleração de maturidade são visíveis e mensuráveis:

  • acelera desenvolvimento;

  • promove desenvolvimento de mão-dupla (gestor/colaborador);

  • clarifica os objetivos do colaborador na função e os objetivos da empresa;

  • cria cultura de desenvolvimento;

  • favorece o desempenho da equipe.

Criar o futuro da empresa


Acelerar a aprendizagem em uma trilha de desenvolvimento rápida é uma das formas de produzir mudança, utilizando práticas orientadas e flexíveis, associadas à aprendizagem permanente. Esse aprendizado deve estar baseado nas reflexões do que foi alcançado e como foi o processo de superar os desafios.


O objetivo é equipar as pessoas para que assumam papéis mais complexos, criando oportunidades que permitam exercitar essas habilidades adquiridas. Já que, em certo sentido, o desenvolvimento pessoal está relacionado ao organizacional.


“A medida de nossa maturidade intelectual é a capacidade de nos sentirmos cada vez menos satisfeitos com nossas respostas para problemas mais importantes”.

Gordon Allport


Você reconhece em você alguma dessas competências? É importante frisar que são aprendizados que podem ser lapidados e aprimorados com estudo, dedicação e vivência prática. Então se você não possui o domínio total de todas as áreas dedique-se à sua liderança, capacite-se e invista no tipo de gestão que você admira.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo