• Glauco Castro

O toque da sua mão


Se ao segurar sua mão, te despi,

Ah... não imaginas o que poderia fazer por ti...

E não faça barulho!... Sobre nós.

A não ser que esteja comigo. E a sós!

Siga em frente com tua vida,

Sem pegar em minha mão, ainda que... vestida.

Seus olhos brilharão. Sempre!

A dois, a três ou quatro... Independentemente.

Teu maior castigo...?

Será, para sempre, amar o proibido.

O tempo não te ajudará, nem em pensamento,

A me deixar de lado, nem por esquecimento.

E, se segurando em minha mão, não te controla a libido,

Monitora-te... Para que não se perca, comigo.

E assim... Controlada... Recatada... com o desejo recolhido,

O tempo passará... e você, feliz! Porém tolhida, inibindo.

Agindo, espontaneamente, perde-se! Tem medo!

Recolhendo-se... Sabemos... apenas sufoca... O teu segredo.

17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo